Educação financeira para crianças

A educação financeira para crianças nas escolas, com disciplinas extracurriculares – como é o caso das turmas do período integral do Stella Maris –  irá fazer com que o aluno saiba lidar melhor com as finanças pessoais quando chegar à vida adulta.

 

Quem nunca ficou muito feliz ao ganhar um cofrinho e, mesmo não sabendo a importância daquilo, começou a guardar dinheiro para usar mais tarde? Talvez hoje em dia esse hábito não seja tão comum, mas ainda assim, é fundamental ensinar educação financeira para crianças em prol do consumo consciente dos bens materiais, além de ajudá-las a terem um melhor planejamento futuro dos seus gastos e desejos.

 

Utilize exemplos

 

Vamos exemplificar? Para introduzir sobre a educação financeira para as crianças é essencial explicar sobre o valor das coisas, que pagamos pelos bens materiais usufruídos no dia a dia. Então, digamos que a criança quer comprar um sorvete e há três opções, sendo um deles mais caro e os outros mais em conta. Que tal explicar para ela as vantagens de levar o mais em conta ? Para que no dia seguinte ainda sobre dinheiro caso ela queira comprar outra coisa. Trazer exemplos do dia a dia é uma ótima maneira de fazê-las assimilar sobre o assunto.

 

Além disso é interessante também apresentar, aos poucos, o valor das coisas. Por exemplo, numa ida ao supermercado mostre o que é possível comprar com R$ 50,00 reais e o que não é. Dessa maneira, a criança entende que tudo que é consumido tem um custo. Nesse mesmo cenário, você pode trazer os conceitos de caro e barato, apresentando um pouco sobre custo benefício, levando sempre o pequeno a refletir e incentivá-lo a não fazer compras futuramente por impulso. Além disso, ensinar sobre o valor do trabalho e das responsabilidades é muito importante.

 

E, da mesma forma que se pode incluir as crianças em tarefas domésticas, também é possível fazer o mesmo em questões financeiras. Além das sugestões ditas anteriormente, mostre as contas a pagar. Peça para o seu filho (a) calcular e até mesmo encontrar alternativas para reduzir essas contas. Falamos anteriormente sobre o consumo consciente da água aqui e um assunto tem total relação com o outro. É possível fazer essa conexão e explicar que além da economia sustentável do recurso, também contribui para redução das despesas domésticas.

 

E outra dica é abrir espaço para perguntas! Questione o que eles acreditam que deveria ser incluído ou até sair dos gastos. Dessa maneira, você incentiva a participação ativa das crianças e ainda estimula o pensamento crítico.

 

Preparação para a vida adulta

 

A educação financeira para crianças as prepara para que se tornem adultos conscientes que dão importância ao dinheiro na rotina e como ele deve ser usado. Fazendo-as pensar sempre que alguns itens e até certo luxos dependerão da disponibilidade do dinheiro e de onde ele vem. Portanto, se quiser algo de um valor mais alto, ela deverá economizar previamente para alcançar esse objetivo e assim tanto com pequenos gastos como com grandes consumos: carros e apartamentos, se assim for o objetivo no futuro.

 

Por fim, livros, aplicativos ou outras ferramentas que incentivem o aprendizado de questões financeiras é uma maneira lúdica de explorar a imaginação das crianças. Isso faz com que elas reflitam sobre o assunto de maneira leve e prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *