Criança quer brincar! A importância da infância no desenvolvimento

Dia 24 de agosto é o Dia da Infância. A data tem como intuito promover uma reflexão sobre as condições de vida dos pequenos. Entre elas, os direitos básicos de alimentação, moradia, formação social, educacional e de valores. E, logicamente, condizente a tudo isso, uma atividade que faz toda a diferença na vida das crianças: a brincadeira.

É por meio do brincar que ela descobre o mundo a sua volta e aprende a interagir com ele, facilitando a construção da autonomia, reflexão e criatividade. Quando uma criança está brincando, ela está aprendendo a exercer muitas atividades importantes para seu crescimento pessoal e emocional.

Desde aquela brincadeira de esconde-esconde com um paninho que todo bebê gosta, até um olhar carinhoso da mãe ou do pai, todos estes estímulos influenciam no seu desenvolvimento cognitivo, social e motor.

As crianças, desde sempre, participam ativamente do mundo que as cerca. Elas são capazes de absorver todo tipo de informação. Dessa forma, se ela recebe amor, é amor que irá refletir e internalizar. Mas, se o ambiente em que vive for hostil e disfuncional, ela pode ter dificuldades de adquirir emoções positivas, o que poderá prejudicar no seu desenvolvimento e até criar traumas que serão refletidos na forma como ela enxerga e reage às atividades do dia a dia.

No início do século XX, muitos pesquisadores se debruçaram sobre a temática do desenvolvimento infantil. Desde Charles Darwin, pai da teoria sobre a Seleção Natural, que tinha o costume de anotar tudo o que seus filhos faziam, ao pensador Jean Piaget, que abordou de maneira mais completa sobre os estágios da vida e o desenvolvimento cognitivo e de adaptação das crianças ao ambiente.

Porém, naquela época o assunto era visto do ponto de vista comportamental. Hoje a tecnologia e a ciência já conseguiram comprovar que os estímulos do ambiente e das interações com os pares têm impactos determinantes na formação do cérebro.

 

A primeira infância é decisiva pra o comportamento

Dessa maneira, o período entre o pré-natal e o sexto ano de vida da criança, chamado de primeira infância, são os anos mais ricos de aprendizado. É nessa fase que os pequenos aprendem muito e de forma rápida. O cérebro da criança está a todo o vapor, são milhares de conexões a todo o instante. Por isso, o desenvolvimento do cérebro exige um estímulo que envolve uma resposta.

E o que melhor para estimular a mente do que uma boa dose de brincadeira?

No entanto, em um mundo conectado, é comum que crianças acabem passando horas entretidas na frente da televisão, vendo vídeos na internet ou interagindo com smartphones. O perigo disso é o excesso. O uso das telas é bem-vindo, desde que utilizado com limites. Isso porque, ocupar o tempo da criança colocando-a em frente a uma tela não proporciona interação, o que não contribui para o seu desenvolvimento social.

Assim, o brincar, a troca e o contato com o mundo exterior é de extrema importância na vida dos baixinhos. Mas, brincar não se restringe apenas à diversão. O lúdico está sempre presente, de forma a trazer conteúdos que agreguem mais conhecimento, facilitando a comunicação e ajudando no psicoemocional da criança.

 

Invista em atividades lúdicas

As atividades lúdicas têm como objetivo promover uma maior compreensão do aprendizado, socialização, desenvolvimento da imaginação, facilidade de memorização, liberdade de expressão, raciocínio lógico e autonomia da criança, ou seja, além de brincar e se divertir, a garotada desenvolve a memória e a atenção, bem como a sua personalidade, inteligência e afetividade. E é ainda por meio de brincadeiras que as amizades são criadas e que os laços são estreitados.

 

E você? Quais brincadeiras costuma realizar com seu filho? Aproveite a infância! É um momento único.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *